sábado, 17 de novembro de 2012

HOMENS DA BIBLIA - OS DOS DOZE FILHOS DE JACÓ




                                 OS DOS DOZE FILHOS DE JACÓ



 (Gênesis 37; 44.1-45.10). Em Padã-arã Jacó casou-se com duas esposas, Lia e Raquel. Cada uma dessas esposas possuía servas. A serva, ou empregada, de Lia chamava-se Zilpa e a serva de Raquel, Bila. Ambas servas tornaram-se concubinas de Jacó, o que quer dizer que lhe deram filhos legítimos. Não devemos ver isso como a vontade de Deus, pois, apesar de ser uma pratica da época, Deus nunca pretendeu que os homens tivessem concubinas ou mais de uma esposa (Mateus 9.4-6). Podemos agradecer a Deus por, pelos séculos, usar homens para fazer sua obra apesar da natureza e práticas pecaminosas deles.
Jacó teve doze filhos, nascidos na seguinte ordem: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, José e Benjamim. Esses homens são muito importantes porque são basicamente os pais das doze tribos de Israel.
Jacó era parcial para José e José era favorecido por Deus com visões e revelações de Deus. Por isso, José foi invejado e odiado por seus irmãos. Um dia, quando José saiu para ver o que seus irmãos mais velhos estavam fazendo com os rebanhos no campo, conspiraram matá-lo. Deus, porém, interveio e venderam José a mercadores medianitas, invés de matá-lo. Depois, medianitas venderam-no como escravo a Potifar (o capitão da guarda do faraó egípcio). Que crime terrível! Pense em como aqueles homens eram sem coração e impiedosos o suficiente para vender seu próprio irmão.
Deus não estava dormindo durante tudo isso, mas escolheu usar o pecado deles para seu próprio bem e para a execução de Seu plano. Muitos anos mais tarde, esses mesmos dez homens, que haviam vendido seu irmão, foram ao Egito comprar milho durante um período de escassez. Lá encontraram seu irmão José. Depois de duas viagens, apresentou-se a eles e os mandou para casa para buscar Jacó, seu pai. Toda a família mudou para o Egito, onde foram salvos da escassez. A família de Jacó viveu no Egito por aproximadamente quatrocentos anos a partir de então.
JOSÉ (Gênesis 39-41). José foi o décimo primeiro filho de Jacó. Porém, o que fez dele tão importante foi ter sido um servo escolhido do Senhor. Como de costume, Satanás vive ao redor dos filhos de Deus tentando causar-lhes problemas. Aqui ele usou a mulher de Potifar (uma mulher má) para tentar destruir José. Quando José refutou pecar com ela, ela mentiu e afirmou a Potifar que José tinha pecado contra ele. Então Potifar colocou José na prisão.
Isso não mudou os planos de Deus para José, Deus estava com ele na prisão e usou esse aprisionamento para colocá-lo na casa do Faraó. Na prisão, estavam juntamente com José, o padeiro e o mordomo do Faraó. Cada um deles teve um sonho interpretado por José. O padeiro seria enforcado a o mordomo voltaria a sua posição. José disse ao mordomo que se lembrasse dele junto a Faraó. Durante dois anos o mordomo não se lembrou de José, então, na hora certa, quando o Faraó teve um sonho, o mordomo se lembrou de José, o revelador de sonhos. José foi, então, levado ao Faraó e interpretou o sonho do Faraó, prenunciando 7 anos de abundância e, logo após, 7 anos de fome. Isso permitiu ao Faraó abastecer os depósitos de grãos do Egito durante os 7 anos de grande produção. Devido ao conselho sábio (divino) de José, foi-lhe dado a responsabilidade de cuidar dos depósitos de grãos, e promovido a governador de todo o Egito. Isso resultou na salvação de toda a casa de Jacó.
Você se lembra da lição anterior, em que José levou seus irmãos e seu pai a Egito durante o tempo de fome. Por causa de José ser um excelente governador, sua família foi altamente honrada, recebendo a terra de Gósen para viver.
Quando José morreu, mencionou que um dia Deus resgataria a casa de Israel do Egito e deu ordens para que, quando esse resgate viesse, seus ossos fossem levados e enterrados em Canaã. Isso aconteceu muitos anos mais tarde.