quinta-feira, 22 de novembro de 2012

UM POUCO SOBRE "JEREMIAS"



Jeremias - (Deus é elevado)


 Profeta, nasceu em Anatote, atual Anata, norte de Jerusalém, Filho de Hilquias, separado por Deus para seu ministério profético ainda antes de nascer, da mesma forma que o Apósto Paulo.

 Jeremias viveu uns cem anos depois de Isaías. Isaías salvara Jerusalém da Assíria, Jeremias tentou salvá-la da Babilônia, mas não conseguiu. Jeremias começou seu ministério com cerca de 20 anos de idade, em aproximadamente 627a.C. no reinado do Rei Josias, recebeu de Deus uma responsabilidade de proclamar uma severa mensagem de julgamento, onde sofreu uma cruel e opressora da oposição, ao ponto de desejar por várias vezes abandonar o seu chamado, mas permaneceu até o fim. Jerusalém foi parcialmente destruída em 605a.C; outra vez devastada em 597a.C. finalmente incendiada e assolada em 587a.C. Jeremias assistiu as agruras desses terríveis quarenta anos, o fim da monarquia, a agonia da morte da nação; último mensageiro de Deus à Cidade Santa, que se apegara desesperada e fanaticamente aos ídolos; bradava incessantemente que se arrependessem, Deus os salvaria da Babilônia. De modo que, assim como a Assíria servira de cena de fundo para o ministério de Isaías, assim também a Babilônia serviu ao ministério de Jeremias. Em todas as suas queixas, contínuas e amargas, contra a impiedade de Judá, as seguintes idéias sempre aparecem:

Judá vai ser destruído pela vitoriosa Babilônia Se Judá deixar sua impiedade, de modo algum Deus o Livrará de ser destruído às mãos da Babilônia. Mais adiante, quando já não parece haver mais nenhuma esperança de Judá arrepender-se, Jeremias trouxe a mensagem de última oportunidade: se, apenas como expediente político, ele se submeter à Babilônia, será poupado Judá, destruído, será restabelecido e ainda dominará o mundo. Babilônia destruidora de Judá, será ela mesma destruída, para nunca mais se reerguer.

Por muito adverter ao seu povo para se render a Babilônia, seus inimigos o consideraram um traidor a ponto de Nabucodonosor o recompensar por essa advertência lhe oferecendo uma honraria qualquer que quisesse aceitar, até mesmo uma dignidade na corte babilônica, todavia Jeremias bradava, alto e contínuo, que o rei da Babilônia estava cometendo um crime hediondona destruição do povo do Senhor, e por essa causa, no devido tempo, esse pais seria assolado e para sempre, ver caps. 50, 51. Manassés, Amom, Josias, Jeoacaz, Jeoaquim, Joaquim e Zedequias foram os reis de Judá contemporâneos a Jeremias Morreu provavelmente no Egito.